Formação Extra-Curricular

Importância da formação extra-curricular

A formação extra-curricular, se aliada a uma formação curricular sólida e adequada e a um bom aproveitamento curricular, pode trazer vantagens importantes ao estudante universitário:

  • o desenvolvimento aprofundado de competências adquiridas, curricularmente a um nível mais superficial e que se podem tornar úteis e até determinantes no sucesso, quando se opta por determinada especialização;
  • a diversificação de competências, contribuindo para a construção de um currículo diferenciado e personalizado, revelador de curiosidade, dinamismo pessoal e capacidade de trabalho;
  • a promoção e desenvolvimento de competências ao nível do relacionamento interpessoal com colegas, superiores hierárquicos, clientes.

Na candidatura a um primeiro emprego, o envolvimento em actividades de formação extra-curricular é, na maior parte das vezes, particularmente valorizado, visto que enriquece um currículo despojado de experiência profissional.

O envolvimento em actividades extra-curriculares como as que aqui sugerimos, mas não só, constitui uma forma relativamente simples mas substancial de enriquecimento e diferenciação do currículo de um estudante universitário, sendo revelador de um espírito atento às oportunidades que se lhe apresentam e de um esforço são de desenvolvimento pessoal.

Cursos de línguas

É esperado actualmente de um profissional com formação superior, tanto no meio académico como no meio empresarial, que possua um bom domínio da língua inglesa, quer ao nível de escrita quer de ao nível do discurso. Um curso de inglês que englobe a obtenção de certificação reconhecida será, portanto, uma boa aposta. É aconselhável a pesquisa de informações, relativas ao mesmo, junto de instituições especializadas no ensino de línguas.

A AEIST promove, todos os semestres, cursos de várias línguas em parceria com insituições como a Alliance Française, a Oxford School, o Goethe-Institute e o Instituto Espanhol de Línguas. São de destacar as línguas espanhola e alemã, pela sua prevalência entre as competências linguísticas mais pedidas por empresas, não esquecendo contudo que pode ser uma mais-valia a fluência em línguas faladas em mercados emergentes.

Por fim, sendo a clareza e o rigor na exposição oral ou escrita de uma ideia valores inestimáveis, em qualquer circunstância e, muito em particular, nos contextos académico e empresarial, já que a respectiva credibilidade depende disso, é de grande importância salientar que o domínio da língua portuguesa é essencial.

Experiência internacional

Aqui se enquadra naturalmente o programa Erasmus, assim como outros programas de intercâmbio menos conhecidos do público em geral, os quais permitem que um estudante realize parte da sua formação académica no estrangeiro, numa instituição de acolhimento com a qual esteja estabelecido um protocolo adequado.

Uma vez que temos uma subsecção dedicada a este assunto, importa apenas salientar que a adesão generalizada ao Processo de Bolonha veio facilitar a mobilidade dos estudantes europeus, sendo amplamente reconhecidos os benefícios que advêm desta.

Estágios durante o curso

Estes estágios podem ser feitos ao abrigo de Bolsas de Iniciação à Investigação (BIC) adequadas às competências e disponibilidade do estudante universitário não-graduado, dando-lhe a oportunidade de colaborar num projecto do seu interesse que esteja a ser desenvolvido por um dado centro de investigação, o qual poderá ou não estar ligado à universidade de origem do bolseiro. Os editais podem ser encontrados em eracareers.pt.

É possível igualmente concorrer a posições em part-time em empresas na área da Eng. Biomédica, realizando tarefas menos qualificadas (quando comparadas com as saídas do eng. biomédico), mas que permitem ir observando e aprendendo, mais concretamente, as funções que se espera que sejam cumpridas no futuro pelo estagiário.

Um benefício claro deste tipo de actividade, particularmente relevante aqui devido à abrangência do currículo do curso de Eng. Biomédica, é o facto de assisitir na definição da área em que o estudante se virá a especializar, já que permite um contacto relativamente precoce com a realidade profissional dessa área.

Outro benefício de grande importância é a possibilidade de estes estágios resultarem, dependendo do desempenho do estudante, na obtenção de referências às quais um futuro empregador poderá ser sensível.

Algumas empresas e laboratórios abrem concursos específicos para aceitação de jovens para pequenos estágios (existem, por exemplo, estágios disponibilizados durante as férias de Verão, por períodos nunca inferiores a um mês). Muitos centros de investigação envolvidos em projectos financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) estão receptivos ao acolhimento (não-remunerado) de estudantes universitários não-graduados, assim como pequenas e médias empresas, sendo que as de maior porte optam usualmente por concursos, cujas formalidades podem ser consultadas nos respectivos sites.

Cursos de formação intensiva

Estes são cursos de curta duração (desde algumas horas até uma ou duas semanas), organizados regularmente por diversas entidades, sobre os mais variados temas.

Destacamos, a título exemplificativo, o curso de Suporte Básico de Vida, que tem vindo a ser oferecido anualmente pelo NEBM, em colaboração com uma empresa especializada, e os cursos de empreendedorismo, gestão ou marketing, disponibilizados pela AEIST. As diversas secções autónomas da AEIST oferecem também cursos de formação intensiva nas áreas em que se inserem, estando disponíveis mais informações no site da AEIST.

A nível internacional, destacamos o programa Athens ou os cursos BEST.

No final de uma sessão do Athens, a instituição de origem reconhece o trabalho desenvolvido de acordo com um exame organizado pela instituição de acolhimento. Cada sessão completa vale geralmente 2-3 créditos ECTS.

Actividade associativa e de voluntariado

Este tipo de actividades envolve, habitualmente, a participação activa na gestão de projectos e eventos, promovendo o trabalho de equipa e desenvolvendo a capacidade de tomada de decisões. Estas competências são marcadamente reconhecidas no mercado de trabalho, já que revelam dinamismo, iniciativa e espírito empreendedor por parte do candidato.

Neste contexto, pensamos que a colaboração dos alunos do curso de Eng. Biomédica com o NEBM-IST pode ser extremamente proveitosa para ambas as partes, já que, para além da experiência que proporciona nestas áreas, fortalece a integração académica do estudante e promove um desenvolvimento precoce de perspectivas em relação ao mercado de trabalho e uma exploração mais informada das alternativas profissionais disponíveis.

Actividade Desportiva

A actividade desportiva é bastante encorajada no IST; é exemplo a acção enérgica da AEIST, através da sua Secção Desportiva, na promoção e divulgação do desporto universitário.

De frisar que se encontra oficialmente definido e regulamentado o Estatuto de Estudante Atleta Universitário da UTL pelo que, nestes moldes, a prática regular de desporto pode contribuir para a valorização do currículo do estudante universitário.

Deixar Feedback